31 de Dezembro, 2018 Artesanato com Amor by Nazaré Aquino

Artesanato com Amor by Nazaré Aquino

Olá 😃

Aqui estamos nós para o nosso último artigo deste ano 😃😃 

Quem nos conhece, desde o início, sabe que começámos esta aventura em 2009 pelo bichinho de criar e decorar algo, e ao ver revistas e alguns vídeos. Como qualquer pessoa, no início de algo, pretende-se fazer tudo numa só peça e mostrar que sabe fazer tudo e mais uma coisa.

Assim era eu na área da madeira, até ao ano de 2013, quando a minha mãe comentou que tinha aberto uma loja com material de artesanato, no “centro comercial” do nosso prédio. Como eu precisava de tintas, fui até lá num sábado. Entrei na loja catita e vi que tinha material e tinha peças realizadas artesanalmente, vi a loja, cumprimentei a lojista e vi o que tinha. No entanto, como não tinha multibanco, registei na memória o que lá havia, para numa próxima vez levantar dinheiro e passar na loja a comprar o que precisava. Assim, despedi-me da lojista desejando um bom fim-de-semana e bom negócio, ao que obtive a resposta “obrigada, igualmente.”

Vim para casa e comentei com a minha mãe: “acho que a loja que abriu é uma loja colaborativa. A variedade de artigos artesanais que tem não me parecia ser de uma só artesã.”

Passado uns dias, já com dinheiro na carteira, voltei à loja. Precisava de umas tintas e assim não teria que me deslocar muito longe para as adquirir. Quando estava a pagar, questionei a lojista se os trabalhos eram todos dela, ao qual ela me respondeu que não, pois tratava-se de uma loja colaborativa e apresentou-se: “O meu nome é Nazaré Aquino.” Aquele nome na minha memória acendeu logo uma luz! Eu já tinha lido sobre ela, em revistas onde via os trabalhos duma artesã com aquele nome. Disse-lhe que fazia artesanato e perguntei se podia fazer parte da loja dela. Ela respondeu-me: “traz umas peças para vermos”.

Assim conheci e nossa entrevistada de hoje, em 2013. Já tinha alguns anos disto, mas ainda era (aliás ainda sou), muito verdinha. Tive a sorte de encontrar a Nazaré, e de ela acreditar em mim e no meu potencial. Ensinou-me muitas coisas que sei hoje, e transmitiu-me a base dos meus trabalhos: “o menos é mais”. Ensinou a simplificar os meus trabalhos e assim definir o estilo que os carateriza. Costumo dizer que, ao longo destes anos, tive a sorte de me encontrar com pessoas que se disponibilizaram a ensinar a orientar-me. E a minha grande orientadora foi a minha querida amiga Nazaré. 

Desta forma achei que faria todo o sentido ser ela a nossa última convidada deste ano 😃 Venham connosco conhecer a querida Nazaré Aquino, da Nazaré Aquino Artesanato comAmor.


Caixas da Sandrinha (CS) – Conta-nos como começou a Nazaré Aquino Artesanato com amor? E desde quando existe?

Nazaré Aquino Artesanato com Amor (NA) – A Nazaré Aquino, desde criança que gosta de desenhar e pintar, sempre cresci rodeada de lápis de cor, cadernos de papel cavalinho e, aos nove anos, tive a oferta das minhas primeiras tintas a óleo, pincéis e placas preparadas para pintar, de um grande amor da minha vida, um avô emprestado que me ajudou a criar e que foi das primeiras pessoas que viu que eu tinha habilidade para as artes. A vida foi correndo e esta vertente adormeceu, porque vieram os filhos e o trabalho. 
De há 20 anos para cá, recomecei e não mais parei, sempre a fazer formações e Workshops em várias técnicas e sempre a experimentar novos produtos. 

A Nazaré Aquino Artesanato com Amor nasceu há volta de 8 anos, uma vez que cheguei a ter vários nomes para dar a conhecer o meu trabalho e inacreditavelmente… vinha a ter conhecimento que outras pessoas também tinham os mesmos nomes… coincidências… por isso decidi, vai ser o meu nome e como tudo é feito com muito amor, nada melhor que esta designação, para me representar. 


CS – Dentro do mundo do artesanato, quais sãos as áreas que mais gostas de trabalhar?

NA – Pergunta difícil… gosto de tantas áreas. Por isso, nada melhor que dar aulas, porque ensino muitas e variadas técnicas. 
Mas o que mais gosto é de pintura em tecido, porque permite pintar desde uma fralda a um quadro, e apesar de ser muito trabalhoso, adoro pintar madeiras.

Depois adoro fuxicos e feltro, apesar de ser uma vertente mais de costura, para mim são áreas que me permitem inventar e misturar com outros materiais.


 CS – Como é que o teu trabalho é acolhido pelas pessoas?

NA – Nem sei o que te diga… sei que tenho muitas pessoas que gostam do meu trabalho, por isso tenho clientes há vários anos, depois sei que tenho muitas pessoas que seguem o meu trabalho e gostam e outras que o fazem e não sei se gostam ou não… hehehehe

Tenho uma mágoa grande de as pessoas ligadas ao artesanato não serem mais unidas, de não fazerem mais parcerias, ou seja juntarem duas vertentes que podem resultar em projetos fantásticos, só com o receio de ficarem sem protagonismo, entendes? Assim como são muito fechadas e não gostam de ensinar nada, com medo que outros fiquem a saber mais que elas próprias, mesmo quando estão a ensinar a troco de dinheiro isso acontece. É triste esta realidade, eu não sou mais que ninguém, mas quem me conhece bem sabe que ensino tudo o que sei, mesmo sem me pagarem.
Devia haver mais união entre todos e chegaríamos mais longe.



CS – O que tens para oferecer às pessoas que te procuram?

NA – Tenho para oferecer o meu trabalho que executo com muito amor e paixão, sou versátil, como já referi, faço de tudo para que os clientes gostem e fiquem para sempre e não comprem só uma vez.

Trabalho por encomenda, uma vez que não tenho espaço físico para expor.
E, claro, dou aulas e workshops que adoro, porque não sou só eu que ensino, eu também aprendo com as minhas alunas, aliás todos os dias aprendo algo.


CS – Sabemos que dás workshops, qual é o feedback das pessoas em relação a essa actividade?

NA – Sim dou workshops, ultimamente mais vocacionados para a pintura em tecido, e gostam bastante. Quando estou uns tempos sem fazer nada, quem os frequenta, pede para fazer, e estão sempre a dar ideias de projetos, porque este mundo da pintura é infinito e existem muitas e muitas formas de se pintar.


CS – Em 2019, onde podemos encontrar-te a dar workshops?

NA – Eu normalmente dou os meus workshops em Alenquer, no espaço de uma empresa onde sou formadora, mas espero e vou lutar por isso, de ir dar os workshops em lojas e localidades diferentes.


CS – Como surgem os teus projectos?

 NA – Surgem de algo que vejo na rua, na praia ou campo, por muita pesquisa na net, e neste caso sempre que descubro o autor, faço questão de pedir autorização para me inspirar nessas obras, se não descubro o autor ressalvo que desconheço, mas faço inspirada na pintura ou desenho de… porque todas nós vamos ao mesmo local buscar a maioria das ideias, local que se de seu nome Pinterest e outras plataformas.


CS – Como costumas adquirir os teus materiais para a realização dos teus projectos?

NA – Não tenho por hábito adquirir online, não gosto. Eu adoro entrar nas lojas da especialidade e ver as coisas ao vivo, e claro depois é uma perdição: vou para comprar um stencil e trago três. Por norma, adquiro tintas para tecido e alguns auxiliares na empresa onde sou formadora que tem loja online, mas eu vou lá… hehehe que é a JB Artes em Alenquer e na Infatado Artes, em Loures.


CS – Quais são os planos para o futuro da Nazaré Aquino Artesanato com amor?

NA – Primeiro fazer de tudo para ser feliz e estar em paz, porque se não estiver bem, não consigo fazer nada de jeito.
Pretendo continuar a dar as aulas onde estou a dar e tentar abrir horizontes noutros locais, e nem precisa ser lojas, basta alguém ter um grupo de amigas e um espaço tipo garagem eu vou dar aulas ou workshops.
Os workshops , quero muito, muito continuar a fazer!
Quero tirar mais formações, aprender sempre!
E quero ver se me dedico mais ao meu blog, porque sei que se o alimentar, tenho muito mais visibilidade.
Continuar a aceitar os desafios que me tem feito para pintar para as revistas, e para o ano 2019, vou ter um projeto que eu queria muito, mas tenho noção que só agora é que estou à altura de o fazer.
E adorava trabalhar em parceria com alguém, onde se unissem as habilidades.


CS – Para terminar esta entrevista se alguém te abordasse a solicitar conselhos para se iniciar no mundo do Artesanato, que conselhos darias?

NA – Primeiro, para não desesperar, por de inicio não correr muito bem, tanto na execução, como nas vendas. Que aprenda seja com aulas, por ver na internet, revistas, etc. porque quem se inicia convencido de que já sabe tudo… não resulta.
Tudo na vida tem que ter trabalho, façam tudo como deve ser, por exemplo a madeira tem que ser lixada, lixem! Não saltem essa parte, não facilitem, porque o cliente hoje já sabe ver quem trabalha bem e quem não o faz.
Resumindo, aprendam, sejam persistentes, analisem dentro das várias áreas quais as que se sentem mais confortáveis, pois fazer o que não se gosta não resulta. Não comprem todos os produtos que surgem como novidade, sem terem certezas que vão fazer bons trabalhos, muita coisa surge no mercado e nem por isso faz trabalhos melhores. Pesquisem bem as novidades!
E quando não têm a certeza de como se faz, perguntem a quem tem um pouco mais de conhecimentos ou tenham umas aulas para aprenderem técnicas mais específicas.
E não copiem na íntegra os trabalhos dos outros. Existem sempre modas, vou dar um exemplo: unicórnios, sejam pintados, de feltro, etc… dêem o vosso cunho pessoal, pintem com outras cores, alterem algo, nem que seja acrescentar ou tirar uma crina.
Sejam vocês próprios.


Queremos agradecer à nossa querida Nazaré Aquino da Nazaré Aquino Artesanato com Amor pela sua disponibilidade para esta entrevista.

Aproveitamos para vos mostrar alguns trabalhos que realizámos, desde então, sempre com o lema “O menos é mais“.



Links da Nazaré Aquino:
Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá 👋
Podemos ajudar?